fantasia

Quando uma fantasia é interditada, uma série de outras fantasias nascem para assegurar que aquela corrente de impulsos, energias potenciais ou libido, como queira definir, encontrem canais para se manifestar, tomem curso, assumam formas, sejam agenciadas em novas perspectivas. Controlar a natureza, definir as finalidades, prever os efeitos destas correntezas criativas humanas é tão impossível quanto desejavel. Mas a experiência da vida humana, em sua maior parte, tem sido investido num metabolismo que a partir da obstrução das fantasias multiplica e produz contra-fantasias, micro-fantasias e desvios de fantasias. Nossa vida tem sido conviver, negociar e adaptar-se a uma multiplicidade de modos de encobrir, desviar e obstruir fantasias matriz. O trabalho de viver, então, não se restringe ao âmbito do chamado trabalho profissional, aquilo que fazemos para sobrebviver. O trabalho de viver implica num diário processo de assassinato das fantasias matrizes. Estas, ao contrário do que muitos pensam, seguem renascendo até a nossa morte. Fantasias matriz, nascem todos os dias, e seu nascimento e movimento depende apenas parcialmente de nossa consciência. Já o seu desvio, controle e obstrução, depende inteiramente de um trabalho consciente.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Kátia Mattoso esteja em paz e bem

O Palhaço e a Bailarina em cartaz no mês de Março no Teatro Molière!