a minha avozinha, por Cristiane Grando



poema inspirado no espetáculo “Los cuentos del rebozo”, do grupo
Aquelarre Teatro (México)

“… só quem renunciou a si mesmo e a controlar sua vida” despertará espontaneamente…“La iluminación zen”. Rubén H. Ríos

vive longe a minha avozinha
e eu lhe escrevo
conto contos
de todas as partes

do meu país 
encho minha memória de pássaros e fotos
para lhe mostrar em um contínuo estado de paz
a fluidez e a liberdade do mundo:
a clara consciência das folhas

ao escrever e ler contos para a minha avozinha
sou espontânea sem querer sê-lo

escrevo sem apegar-me a nada
para perder-me em minhas histórias
e jamais encontrar uma saída lógica

porque mais vale a imaginação
(iluminá-la no meio da noite)

e porque
tudo se transforma




Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O Palhaço e a Bailarina em cartaz no mês de Março no Teatro Molière!

Kátia Mattoso esteja em paz e bem