Picadeiro Andante




Local:
Farol da Barra
Data:
27 de Maio de 2012


Um encontro que ficará para sempre na minha memória, nesse dia o grupo Picadeiro Andante fez sua apresentação, embora apenas uma hora, mas tempo suficiente para mover todos os meus sentidos e ver o quanto tenho perdido de minha vida.
Cheguei meio que deslocada procurando os meus colegas para poder me sentir com coragem, vi que nenhum estava por perto, foi como se o chão me faltasse, pois havia prometido levar um frango assado, e aproveitei e levei também refrigerantes e água, e lá estava eu e minha filha completamente perdida no meio de uma multidão de desconhecidos.


De longe vi o João Lima e pensei “ele parece alguém que eu conheço”, era como se ele fosse um velho amigo, então me aproximei e me apresentei como aluna do Professor Demian, perguntei por minha turma e a resposta dele foi como um portal para um mundo encantado, ele disse “sua turma agora somos nós, se arruma e vem”, corri então para a pequena barraca que servia de trocador e coloquei minha roupa, uma jovem fez a minha maquiagem.
Depois de vestida e maquiada me misturei com os outros palhaços e tudo se transformou como um passe de mágica, foi muito importante esse dia para a minha vida, eu simplesmente não consigo definir em palavras o que eu senti, espero que as fotos revelem de alguma forma esse sentimento.
Estava ali, fazendo parte de um grupo que além de estar fazendo outras pessoas felizes eram a própria encarnação da felicidade, rindo e fazendo rir. A cada parada dos palhaços eu podia ver na face de cada homem, mulher e criança o quanto aqueles palhaços estavam mexendo com suas emoções, o prazer era tanto que chegava a ser palpável.


Foram quatro paradas e vários números, tinha uma quantidade grande de palhaços, pena que não deu para gravar os nomes de cada um, sem falar na banda, ah! Essa era também de primeira e estava muito bem sincronizada com todos os números apresentados, mas também o João Lima é um mestre, e ele era quem estava o tempo todo regendo e orientando, não só a banda como a turma inteira.
Pulei, dancei, brinquei, diverti e me diverti muito, pena que foi muito rápido, como tudo que é bom né?
No final tivemos até um lanchinha, tudo muito organizado pelo grupo, tiramos fotos muitas fotos, e depois que fomos dispensados fomos almoçar na casa de Jandineli, conheci a mãe dela, uma figura, muito alegre e pra cima, ela havia preparado uma lasanha que acompanhamos com o frango e a farofa que eu levei e fizemos um verdadeiro banquete, e sem esquecer levamos também uma coleguinha de minha filha, a Rebeca que fez um brigadeiro muito gostoso para sobremesa.
Foi um dos melhores domingo de minha vida, o dia em que descobri que a vida é para ser vivida, e com a alegria que os palhaços transmitiram durante aquela hora tão impar, sempre e sempre. Ah! O nosso planeta precisa disso.



Por Silvia Rocha (BI IHAC)
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O Palhaço e a Bailarina em cartaz no mês de Março no Teatro Molière!

Kátia Mattoso esteja em paz e bem