Carta para o elenco de “No caminho do casamento”




A sabedoria do coração do palhaço

Nosso coração é como uma rosa. Como a rosa nosso coração atrai pessoas e experiências de interação. Nos aproximamos irresistivelmente à rosa atraídos pela sua beleza e ao prazer do seu cheiro. A rosa desenvolve espinhos para se proteger de tantos seres que se sentem atraídos a ela. Nosso coração faz o mesmo, cansado de ser machucado e com medo de ser magoado, nosso coração desenvolve máscaras, armaduras e defesas. Nosso coração desenvolve espinhos que funcionam como sistemas de segurança, para se proteger de novos sofrimentos e tristezas causados pelas nossas experiências amorosas e afetivas. Para evitar novos traumas, frustrações e perdas, nosso coração desenvolve seus métodos de se esquivar e não se mostrar; para, em fim, não se expor aos perigos e danos inevitáveis das experiências dolorosas e a dor das experiências de derrota.

Mas o palhaço traz outras verdades da rosa e do coração. A rosa mostra e oferece sua beleza para todos, como o coração do palhaço. A rosa arrisca exibir e doar a sua beleza para que os outros se sintam felizes, amados e tocados pela sua alegria, como o palhaço. Por fim, o palhaço, como a rosa, sabe que sua missão maior é voltada para os outros e que sem os outros não haveria ninguém para apreciar sua beleza e nem a sua sabedoria. Ademais, com o tempo, o palhaço desenvolve a sabedoria de um coração sem espinhos. O coração do palhaço é como uma rosa sem espinhos. No caminho do palhaço o coração aprende que não precisamos sofrer tanto com a experiência da perda, da derrota e da decepção. Podemos rir delas. Podemos até encontrar a felicidade de aceitar que a tristeza assim como a alegria faz parte das possibilidades das experiências da vida porque faz parte da natureza do coração humano. Um ser que apenas sente alegria o tempo todo não pode ser um ser humano de verdade. E uma pessoa que se mostra feliz o tempo todo, apenas seu lado amigável e harmonioso, certamente esconde boa parte de quem é. O palhaço aprende e ensina que não devemos ter vergonha de sentir ódio, tesão, demonstrar que estamos aborrecidos e insatisfeitos e vontade de transgredir as regras quando elas estão se impondo de mais no nosso viver.
O coração do palhaço é o coração de um ser humano. E esta sabedoria será valiosa em todos os momentos da nossa vida em relação a todas as nossas relações, profissionais, de amizade, de namoro, e também, “No Caminho do Casamento.”

Beijos no coração de palhaço de todos vocês.

E viva a palhaçaria.

Demian Reis


Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O Palhaço e a Bailarina em cartaz no mês de Março no Teatro Molière!

Kátia Mattoso esteja em paz e bem